Noticias em eLiteracias

🔒
❌ Sobre o FreshRSS
Há novos artigos disponíveis, clique para atualizar a página.
Antes de ontemBibliotecas
  • 30 de Junho de 2022, 13:25

BE e PDPSE: Sinergias em sintonia

2022-06-29 Colaboração biblioteca escolar PNPS

Leitura: 7 min |

No prefácio do Quadro Estratégico 2021-2027 do Programa Rede de Bibliotecas Escolares, o então Secretário de Estado Adjunto e da Educação, atualmente Ministro da Educação, concebe a  biblioteca escolar como um “órgão  vital” da escola, “nunca entendido para além do currículo, mas na certeza de que o currículo se cumpre também na biblioteca, através da biblioteca e com a biblioteca”, reconhecendo a sua centralidade na “educação e formação de todos os jovens (mesmo todos!) em dimensões que vão muito para lá do mero saber enciclopédico”(RBE, 2021, p.9), num alinhamento claro com as medidas dos Planos de Desenvolvimento Pessoal, Social e Comunitário (PDPSC), cuja finalidade é contribuir para a melhoria das aprendizagens e do bem-estar escolar de todos os alunos.

Nesse caminho ainda em processo, em muitas escolas o(a) professor(a) bibliotecário(a) integrou a equipa responsável pelo desenvolvimento das medidas, pelo que, para além de disponibilizar e otimizar os espaços da BE e os seus recursos documentais, desempenhou um papel pró-ativo na implementação das mesmas, mobilizando capacidades múltiplas e reinventando-se constantemente com vista a responder aos grandes desafios da educação de uma escola que se quer efetivamente inclusiva.

AE Raul Proença, Caldas da Rainha

No âmbito das medidas com vista ao desenvolvimento de competências de leitura, escrita e comunicação, este AE contou sempre com a colaboração da biblioteca escolar na planificação, desenvolvimento e avaliação das medidas implementadas. No Pré-Escolar e no 1.º Ciclo (1.º e 2.º anos), a medida “Começar bem para bem continuar” traça, a partir do diagnóstico de alunos com dificuldade de acesso ao “Programa de Desenvolvimento de Aptidões para a Aprendizagem”, sequências de aprendizagem da leitura em que a equipa da biblioteca escolar articulou na escolha do livro e das tarefas com a professora titular de turma, a psicóloga contratada e a EMAEI. Tais sequências implicam a leitura de textos e livros com a família, quer na escola, em momentos especiais, quer em casa, para que se verifique a promoção de uma boa relação com a leitura e com a aprendizagem.

Como exemplo destas abordagens,  encontramos as atividades A que sabe a Lua? ou Mochila Já Sei Ler. Ainda no âmbito do PNPSE, a medida “Recuperar aprendizagens promovendo a literacia” parte do princípio de que a competência leitora é fundamental para aceder ao currículo. Com a colaboração da psicóloga e das professoras titulares de turma, a equipa da biblioteca escolar identifica temas, textos e tarefas que são passíveis de ser exploradas com alunos do primeiro ciclo (3.º e 4.º anos), numa intervenção mais individualizada. O livro é o mediador do conhecimento e, muitas vezes, o trabalho da psicóloga ou da professora bibliotecária é coadjuvado por um aluno mentor mais velho, integrado no projeto Conto Contigo – Voluntários da Escola Secundária. Assim, no AE Raul Proença as medidas implementadas beneficiam do trabalho colaborativo entre todas as estruturas da escola – educadores, professores, serviços de psicologia, equipa EMAEI e equipa da BE-, decidindo os melhores caminhos para aprender e, indubitavelmente, ler muitos e diversificados livros é já meio caminho andado.

AE Atouguia da Baleia, Peniche

A medida significativamente intitulada “Contrato Para o Sucesso do Aluno”, plasmada no vídeo de apresentação,  implicou várias ações envolvendo uma estreita colaboração e articulação da psicóloga e da animadora sociocultural (ambas contratadas no âmbito do PDPSC), da equipa da BE, coordenada pela professora bibliotecária, e de toda a comunidade escolar, envolvendo até encarregados de educação e pais, dados os reconhecidos efeitos positivos do envolvimento parental na escola no desempenho e ajustamento académico dos alunos.

Foram realizadas sessões de formação para o desenvolvimento pessoal,  social e comunitário, foi implementado um programa de promoção de inteligência socioemocional numa abordagem multinível, foram desenvolvidas sessões em contexto de turma  no âmbito das seguintes temáticas/áreas de intervenção: Filosofia para crianças; Penso em mim e valorizo-ME; Eu decido, eu aprendo; Eu escuto, eu falo; A minha viagem; Exercício da mente; Ginástica da Mente; Mais Saúde, mais sucesso; Aprendo a Estudar/Métodos e hábitos de estudo. Muitas das dinâmicas envolveram a leitura de livros e resultaram em trabalhos bastante diversificados e em diferentes suportes. Face ao exposto, percebe-se que o AE de Atouguia da Baleia promoveu um conjunto de ações promotoras da saúde física e mental, de bem-estar socioemocional que, a par da necessidade de aprofundamento nos domínios da literacia, numeracia, literacia digital, garantem uma aprendizagem de qualidade e potenciam o sucesso em diferentes as áreas curriculares.

AE Marinhas do Sal, Rio Maior

A medida “Dinamização do vídeo” possibilitou um trabalho colaborativo entre a BE, o técnico informático contratado e professores de diferentes áreas curriculares/disciplinas, de que resultaram cenários de aprendizagem enriquecedores e potenciadores de aprendizagens muito significativas em diversas áreas- comunicação e linguagem (oral e escrita), leitura, literacia digital, socioemocial, como espelhado na micro-apresentação. A professora bibliotecária integra a equipa responsável pelo desenvolvimento da medida e muitas das atividades realizadas no âmbito de Domínios de Articulação Curricular (DAC), do Projeto Cidadania, da criação e dinamização  do canal Youtube, do apoio ao clube TV Marinhas, e os  demais clubes a funcionar na escola implicaram, também, um trabalho direto com a equipa da biblioteca e na biblioteca.

A nível nacional, o público-alvo preferencial das medidas desenhadas no âmbito do PDPSC foram alunos do ensino básico, no entanto os alunos do ensino profissional não foram negligenciados, conforme se depreende das medidas implementadas nas duas escolas que se seguem.

Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Cister (EPADRC),  Alcobaça

A medida “Somos EPADRC! Somos Ensino Profissional!” foi concretizada por meio da realização de encontros com pessoas inspiradoras de referência nas áreas de formação (Ex: Engenheiro João Santiago, para uma conversa com os alunos do 2.° ano do curso de Técnico Profissional de Agropecuária sobre inseminação artificial em suínos; Engenheira Dulce Alves, para uma palestra sobre apicultura em modo biológico; escritor Telmo Mendes, para falar do seu último trabalho; ex-alunos da EPADRC, agora no ensino superior, para partilharem o seu percurso…), de  projetos associados ao currículo com recurso a ferramentas multimédia e digitais e a impressoras 3D como, por exemplo, o Trabalho de Projeto do 2 TRB (Técnico Profissional de Restaurante e Bar) em CLE-Inglês sobre o  restaurante pedagógico “Sabores Epadrc”, do programa de mentoria e da iniciativa “EPADRC solidária e voluntária”. Foram desenvolvidas ações diversas de estímulo à inteligência socioemocional, ao desenvolvimento pessoal e profissional e, ainda, ao desenvolvimento de competências digitais e de comunicação.

Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira, Rio Maior

A medida “+ Sucesso no Ensino Profissional” (ver vídeo) possibilitou a contratação de uma Técnica de Desenvolvimento Pessoal e Social e , num trabalho de grande proximidade com as estruturas educativas e com a biblioteca escolar, deu-se novo alento ao ensino profissional, verificável na significativa melhoria dos resultados e da taxa de conclusão, bem como na redução da taxa de abandono. Durante as interrupções letivas impostas durante da pandemia, a equipa da biblioteca escolar, ainda que reduzida, continuou a disponibilizar os seus espaços, os seus recursos e serviços e geriu o empréstimo de equipamentos e de acessos à internet. A técnica contratada, com a colaboração da professora bibliotecária, acompanhou diariamente os alunos sem equipamentos, com dificuldades em acompanhar o ensino a distância, forneceu a necessária formação e interagiu com os pais/encarregados de educação, de forma a garantir o sucesso de todos. Foi implementado um plano de mentoria e tutoria para acolhimento, integração e acompanhamento de alunos com maiores dificuldades e, paulatinamente, foi criada uma verdadeira comunidade com sentimento de pertença, nascendo o boletim #ProSecundário, que já conta com 4 edições, e tendo sido organizado o “Seminário #Ensino Profissional: passado, presente e futuro na ESDACSF”. Ademais, foi atribuído à escola o selo de conformidade EQAVET e esta avançou com uma candidatura ao selo “SaudávelMente” e, ainda, à  # RecuperaçãoEmAção, com vista à criação de um Centro Tecnológico Especializado.

Em suma, é notável a abrangência das medidas implementadas (considerando o seu público-alvo, os recursos humanos envolvidos, reforçados pelos técnicos especializados contratados) e o sucesso das mesmas para o desenvolvimento de competências socioemocionais, de desenvolvimento pessoal e, ainda, para o desenvolvimento de competências de leitura e escrita e das literacias emergentes. Trabalhando juntos e melhor poderemos vir a apostar em medidas preventivas em vez de investir em medidas de remediação, que se revelam sempre menos eficazes.

 

Referências bibliográficas

RBE (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede de Bibliotecas Escolares:  Quadro estratégico: 2021-2027.RBE- Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/?newsId=890&fileName=qe__21.27.pdf

Verdasca, J., Neves, A., Fonseca, H., Fateixa, J., João, M. J., Procópio, M., & Magro-C, T. (2022). A ação estratégica das escolas portuguesas no desenvolvimento pessoal, social e comunitário dos alunos durante a pandemia de COVID-19. ME/PNPSE. https://pnpse.min-educ.pt/estudo7

❌