Noticias em eLiteracias

🔒
❌ Sobre o FreshRSS
Há novos artigos disponíveis, clique para atualizar a página.
Antes de ontemNotícias - Comissão Nacional da UNESCO

Posto Vago no âmbito do Programa Memória do Mundo da UNESCO em Paris

Estão abertas, até ao dia 7 de abril de 2022, as candidaturas a um Posto na sede da UNESCO em Paris no âmbito do Programa Memória do Mundo.

Veja aqui as oportunidades de emprego na UNESCO UNESCO Careers.

Apenas serão consideradas as candidaturas apresentadas através do seguinte portal UNESCO Careers.

Dia Internacional da Mulher - 8 de março de 2022

dia internacional da mulher

“A igualdade de género para o amanhã começa hoje. Porém, neste momento a paridade ainda está muito longe de ser uma realidade. Mesmo antes da pandemia, estimava-se que seria necessário um século para fechar o fosso de géneros/entre géneros. Temos de inverter esta situação.

Temos ainda um longo caminho a percorrer. A nível global, as mulheres ganham apenas 77% do que os homens. Segundo as estimativas da UNESCO, apenas uma de cada três investigadores é mulher. As mulheres são proprietárias de menos de 20% de todas as terras, e representam cerca de 80% das pessoas deslocadas devido às alterações climáticas.

No entanto, um novo dia está a amanhecer. As mulheres de hoje estão a liderar movimentos globais de mudança. Estão a abordar questões mundiais como a justiça climática, a liberdade de imprensa e o acesso ao progresso científico e não estão a pedir autorização: estão a ocupar os seus lugares à mesa.

Este ano, no Dia Internacional da Mulher, gostaria de aplaudir esta nova geração de jovens mulheres, pela sua coragem em falar, inspirar os outros e mobilizar os seu pares, para um amanhã mais sustentável.”

Audrey Azoulay

Diretora-Geral da UNESCO

Mensagem completa: 

InglêsFrancês| Espanhol

Saiba mais em: https://en.unesco.org/commemorations/womenday

As Comissões Nacionais para a UNESCO da Europa (e outras) condenam o ataque à Ucrânia

25 de fevereiro de 2022

As Comissões Nacionais para a UNESCO da Europa (e mais além) condenam o ataque à Ucrânia

Os recentes acontecimentos marcam um ponto de viragem para a Ucrânia, a Europa e o mundo.

As Comissões Nacionais para a UNESCO da Europa (e mais além) condenam veementemente o ataque da Federação Russa à Ucrânia. Expressamos a nossa solidariedade para com o povo da Ucrânia, incluindo os jornalistas que cobrem a zona de conflito, os professores, educadores, estudantes e alunos que têm direito a uma educação num clima de paz. Apoiamos plenamente os nossos parceiros que defendem os objetivos e valores da UNESCO na Ucrânia e mais além.

A 24 de fevereiro, a UNESCO apelou ao respeito do direito humanitário internacional. Em particular, apelou à preservação da liberdade de informação, à proteção dos profissionais da comunicação social e ao cumprimento da Convenção de Haia para a Proteção dos Bens Culturais em Caso de Conflito Armado. Um total de sete sítios do Património Mundial da UNESCO estão localizados na Ucrânia. Perante a escalada da violência, o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, pediu ao Presidente russo para que retirasse as suas tropas da Ucrânia.

As Comissões Nacionais para a UNESCO de :

Albânia, Alemanha, Andorra, Áustria, Bélgica (Flandres), Bulgária, Canadá, Croácia, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Finlândia, França, Hungria, Ilhas Faroé, Islândia, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Polónia, Portugal, Reino Unido, Roménia, Suécia, Suíça, Turquia.

----------------------------------------------------------------------------------------------

 

25 February 2022

The National Commissions for UNESCO of Europe (and beyond) condemn the attack on Ukraine

Recent events mark a watershed for Ukraine, Europe and the whole world.
The National Commissions for UNESCO of Europe (and beyond) condemn the attack on Ukraine by the Russian Federation in the strongest terms. We express our solidarity with the people of Ukraine, which includes the journalists covering the conflict zone, and the teachers, educators, students and pupils who have the right to be educated in peace. We fully support our partners who advocate for UNESCO's goals and values in Ukraine and beyond.
On 24 February, UNESCO called for the respect of international humanitarian law. Specifically, it called for the preservation of freedom of information, the protection of media professionals and to respect the Hague Convention for the Protection of Cultural Property in the Event of Armed Conflict. A total of seven UNESCO World Heritage sites are located in Ukraine. Following the recent escalation of violence, the UN Secretary General Mr. António Guterres asked the Russian President to withdraw his troops from Ukraine.

National Commissions for UNESCO of
Albania, Andorra, Austria, Belgium (Flanders), Bulgaria, Canada, Croatia, Estonia, Faroes, Finland, France, Germany, Hungary, Iceland, Italy, Latvia, Lithuania, Luxembourg, Netherlands, Norway, Poland, Portugal, Romania, Slovakia, Slovenia, Sweden, Switzerland, Turkey, United Kingdom.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Le 25 février 2022

Les Commissions nationales pour l'UNESCO d’Europe (et au-delà) condamnent l'attaque contre l'Ukraine

Les événements récents marquent un tournant pour l'Ukraine, l'Europe et le monde entier.
Les Commissions nationales pour l’UNESCO d’Europe (et au-delà) condamnent dans les termes les plus forts l'attaque de la Fédération de Russie contre l'Ukraine. Nous tenons à exprimer notre solidarité au peuple d’Ukraine, aux journalistes qui couvrent la zone de conflit, aux enseignants, éducateurs, étudiants et aux écoliers qui ont le droit à une éducation dans un climat de paix. Nous soutenons pleinement nos partenaires qui défendent les objectifs et les valeurs de l'UNESCO en Ukraine et au-delà de ses frontières.
Le 24 février, l'UNESCO a demandé le respect du droit humanitaire international. Elle a appelé notamment à préserver la liberté d'information, à protéger les professionnels des médias et à respecter la Convention de La Haye en faveur de la protection des biens culturels en cas de conflit armé. Au total, sept sites du patrimoine mondial de l'UNESCO se trouvent en Ukraine. Face à l’escalade de la violence, le Secrétaire général de l'ONU, M. António Guterres, a demandé au Président russe de retirer ses troupes d'Ukraine.

Les Commissions nationales pour l’UNESCO de :
Albanie, Allemagne, Andorre, Autriche, Belgique (Flandre), Bulgarie, Canada, Croatie, Estonie, îles Féroé, Finlande, France, Hongrie, Islande, Italie, Lettonie, Lituanie, Luxembourg, Pays-Bas, Norvège, Pologne, Portugal, Roumanie, Slovaquie, Slovénie, Suède, Suisse, Turquie, Royaume-Uni.

 

Mesa Redonda “Desafios da ética e da governança da IA : dos princípios à prática” Zoom, 24 de fevereiro, 11h00-13h00

mesa redonda desafios da etica e da governanca da ia

Vai ter lugar, online, no próximo dia 24 de fevereiro, das 11h às 13h, uma Mesa Redonda promovida pelo setor das ciências sociais e humanas da UNESCO dedicada à ética da inteligência artificial.

Subordinada ao tema “Desafios da ética e da governança da IA : dos princípios à prática”, esta Mesa Redonda abordará um conjunto de desafios que a governação da IA levanta de uma perspetiva ética. Trata-se de identificar formas de pôr em prática os princípios éticos; como medir a justiça e a equidade; e incentivos que poderiam incentivar o setor privado a observar princípios éticos tais como a inclusão.

A discussão será aberta por Gabriela Ramos, Diretora-Geral Adjunta para as Ciências Sociais e Humanas, e moderada pela Professora Emma Ruttkamp-Bloem, Chefe do Departamento de Filosofia da Universidade de Pretória (África do Sul), Copresidente do Comité Diretor da Conferência da África Austral para a Investigação da IA e membro da Comissão Mundial de Ética do Conhecimento Científico e das Tecnologias (COMEST).

Os oradores convidados são :

- Carlos Affonso Souza, Professor de Direito, Universidade do Estado do Rio de Janeiro;

- Sabelo Mhlambi, Investigador, Laboratório Digital da Sociedade Civil, Centro de Filantropia e Sociedade Civil de Stanford (PACS);

- Ellen Broad, Professora Associada, Instituto 3A, Departamento de Cibernética, Universidade Nacional Australiana, e membro do Conselho Consultivo sobre Dados do Governo Australiano;

- Favour Borokini, investigadora de políticas de IA e tecnologia na Pollicy, um coletivo feminista ugandês premiado e organização de tecnologia cívica.

Mais informações em https://events.unesco.org/event?id=1554145062&lang=1033

Inscrições em https://unesco-org.zoom.us/webinar/register/WN_7c90OSCPR9SW7hP8_rRHuQ

Abertura de Candidaturas ao Prémio UNESCO / Jikji Memória do Mundo

Estão abertas as candidaturas para a 9ª Edição do Prémio UNESCO / Jikji Memória do Mundo, que deverão ser submetidas antes do dia 30 de Abril de 2022.

A submissão das candidaturas deverá ser rececionada pela Comissão Nacional da Unesco até ao dia 20 de Abril de 2022.

O prazo para a submissão de candidaturas à UNESCO termina no dia  30 de abril.

Para mais informações consulte o guia e formulário em francês e inglês.

Dia Mundial da Rádio 2022

dg_reelection-_3.jpg

13 de fevereiro de 2022

Proclamado em 2011 pelos Estados membros da UNESCO e adotado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2012, o dia 13 de fevereiro tornou-se o Dia Mundial da Rádio (WRD).

A rádio continua a ser um dos meios de comunicação mais fiáveis e acessíveis do mundo, de acordo com vários relatórios internacionais. O tema da edição de 2022 do Dia Mundial da Rádio é "Rádio e Confiança".

A UNESCO convida todas as estações de rádio de todo o mundo a juntarem-se às celebrações do 11º Dia Mundial da Rádio e a partilharem as suas atividades em https://en.unesco.org/commemorations/worldradioday.

Ligações úteis: https://en.unesco.org/commemorations/worldradioday

 

Lançamento do Relatório Global ‘Re|Shaping Policies for Creativity – Addressing culture as a global public good’

reshaping policies for creativity 2022

Foi hoje lançado o Relatório Global da UNESCO, Re|Formatar Políticas para a Criatividade – Abordar a cultura como um bem público global (Re|Shaping Policies for Creativity – Addressing culture as a global public good),  o terceiro de uma série destinada a acompanhar a implementação da Convenção de 2005 sobre a Proteção e Promoção da Diversidade de Expressões Culturais. O relatório faculta uma visão global do estado dos sectores culturais e criativos através de novos dados que sublinham as tendências emergentes a nível global, apresentando recomendações políticas no sentido de fomentar ecossistemas criativos que contribuam para um mundo sustentável até 2030 e perdurem no futuro.

Aceda ao Relatório em https://www.unesco.org/reports/reshaping-creativity/2022/en

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto - 27 de janeiro de 2022

cerimonia online holocausto 2022

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO, Audrey Azoulay,

por ocasião do Dia Internacional em memória das vítimas do Holocausto

“Sempre que a história é questionada, sempre que a memória das vítimas é atacada, estamos a encorajar o antissemitismo e o discurso de ódio, um flagelo diário para as comunidades judaicas em todo o mundo. Por este motivo, mais do que nunca devemos estar vigilantes. É nossa responsabilidade comum proteger a verdade e manter viva a memória de todos aqueles que sofreram com o regime nazi; apoiar a investigação e a documentação, para responder com a realidade da história às fantasias dos fanáticos; estudar e ensinar o holocausto, para que a educação previna o antissemitismo e todas as formas de racismo.”

Audrey Azoulay

 

Think Tank “Floresta, Desenvolvimento Sustentável e as Conclusões da COP26"

O RAIZ - Instituto de Investigação da Floresta e Papel, membro da Rede Portuguesa de Associações e Clubes UNESCO, através do seu projeto Floresta do Saber, organiza no próximo dia 27 de janeiro, entre as 11-13:00, o 1º Think Tank subordinado ao tema “Floresta, Desenvolvimento Sustentável e as Conclusões da COP26”.

Neste espaço aberto a toda a sociedade, com moderação jornalística, teremos a perspetiva da academia e de indústrias de base florestal, sobre o papel das florestas para o desenvolvimento sustentável e a sua importância para os desafios atuais, entre os quais se destacam as alterações climáticas.

Poderá aceder a este Think Tank online, via live streaming na página do projeto em:

https://florestadosaber.pt/programas/think-tanks/

Veja o Programa aqui.

Dia Internacional da Educação 2022 – Celebrações em Nova Iorque

Onde?

Online, a partir de Nova Iorque 

Quando?

14:00 (Lisboa)

As celebrações do Dia Internacional da Educação em Nova Iorque são organizadas pela UNESCO e pelo Grupo de Amigos da Educação e da Aprendizagem ao Longo da Vida, em cooperação com o Presidente da Assembleia Geral da ONU, o Secretário-Geral da ONU e a Diretora-Geral da UNESCO.

No momento em que o nosso mundo se encontra num ponto de viragem histórico, celebramos hoje o quarto Dia Internacional da Educação. Desigualdades marcantes, um planeta danificado, polarização crescente e o impacto devastador da pandemia global colocam-nos  numa escolha geracional: continuar num caminho insustentável ou mudar radicalmente de rumo.

Com o objetivo principal de transformar o futuro surge uma necessidade urgente de restabelecer o equilíbrio das nossas relações entre nós, com a natureza e com a tecnologia que invada as nossas vidas. Estas podem oferecer oportunidades revolucionárias que, simultaneamente, levantam sérias preocupações sobre equidade, inclusão e participação democrática.

A educação é essencial para preparar o caminho para uma maior justiça e sustentabilidade, mas milhões de crianças, jovens e adultos são deixados para trás e ainda mais expostos à pobreza, violência e exploração. A pandemia da COVID-19 exacerbou uma crise pré-existente na educação. A utilização da tecnologia digital para a aprendizagem exacerbou a exclusão e as desigualdades de género. Sem medidas corretivas, mais apoio aos professores e maior financiamento, as perdas em matéria de aprendizagem e as taxas de abandono escolar continuarão a aumentar, invertendo o progresso para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e privando os jovens de um futuro de dignidade e oportunidade.

O Dia Internacional da Educação (24 de Janeiro) será um veículo para destacar as transformações mais importantes que devem ser promovidas para se alcançar o direito fundamental de todos à educação e construir um futuro mais sustentável, inclusivo e pacífico. Decorrerá um debate sobre como reforçar o estatuto da educação como projeto social e bem comum, como orientar a transformação digital, como apoiar os professores, como salvaguardar o planeta e como libertar o potencial de todos para contribuírem para o bem-estar coletivo e para a nossa casa comum.

Objetivos do dia

- Gerar uma discussão sobre os principais fatores de desencadeamento das transformações para construir sistemas de educação mais equitativos e inclusivos que irão acelerar o progresso em direção ao ODS 4.

- Dar a conhecer as transformações que estão em ação cujo potencial é de fazer avançar a inclusão digital, competências verdes e sustentáveis, e igualdade de género.

- Mobilizar a vontade política para abordar as desigualdades gritantes no acesso e conclusão da educação, de acordo com o ODS4.

- Destacar as vozes dos estudantes sobre as mudanças e inovações que desejam para tornar a sua educação mais adaptadas às suas necessidades.

- Destacar as vozes dos professores sobre o futuro da sua profissão, especialmente como integrar a tecnologia na sua prática; refletir sobre como aprender e ensinar tendo em conta as novas competências e mentalidades que têm um impacto positivo no planeta e nos seus habitantes.

- Registe-se aqui para participar (Zoom)

- Assista ao evento online na UN Web TV

- Nota conceptual

Prémio Mundial da Liberdade de Imprensa UNESCO / Guillermo Cano 2022 - Candidaturas abertas

Encontram-se abertas as candidaturas para o Prémio Mundial da Liberdade de Imprensa UNESCO/Guillermo Cano. 

Candidaturas

As candidaturas devem ser apresentadas à Comissão Nacional da UNESCO até ao dia 7 de fevereiro de 2022 que fará seguir para a UNESCO (prazo limite: 15 de fevereiro de 2022). 

formulário deverá ser preenchido em inglês ou francês. 

Prémio

Num montante de 25 000 USD, este prémio visa “distinguir uma pessoa, organização ou instituição que tenha contribuido significativamente para a defesa e/ou promoção da liberdade de imprensa em todo o mundo, em particular se tiver corrido riscos para tal”.

Este Prémio foi instituído pelo Conselho Executivo da UNESCO, em 1997, em honra de Guillermo Cano, jornalista colombiano morto no exercício da sua profissão.

Entrega do prémio

Em 2022, a entrega do Prémio está prevista para o dia 3 de maio por ocasião do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa 2023, que  terá lugar em Punta del Este, Uruguai.

Saiba mais em: https://en.unesco.org/news/unesco-seeking-nominations-unescoguillermo-cano-world-press-freedom-prize-2022 

Aberto o Concurso para a Rede das Escolas Associadas da UNESCO “A Expedição que falta”

a expedicao que falta logo

 

No âmbito da Década Internacional para a Aproximação de Culturas 2013-2022 e das Celebrações do V Centenário da Viagem de Circunavegação Fernão Magalhães | Elcano

A Comissão Nacional da UNESCO e a Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Viagem de Circunavegação, lançou o concurso integrado no âmbito da Década Internacional da UNESCO para a Aproximação de Culturas 2013-2022 e das Celebrações do V Centenário da Viagem de Circunavegação: A expedição que falta.

O concurso é dirigido aos alunos da Rede das Escolas Associadas da UNESCO em (3) três categorias - intervenção artística (1º ciclo); escrita criativa (2º e 3ºs Ciclos) e audiovisual (secundário).

São principais objetivos deste concurso, de entre outros, promover o conhecimento de Fernão de Magalhães e as características inovadoras da sua missão; incentivar ideais de solidariedade, desenvolvimento, sustentabilidade e prosperidade, valores basilares da Comemoração da Viagem; promover as artes e a criatividade, incentivando uma maior consciencialização para a diversidade das expressões artísticas e, promover a imaginação e a criatividade dos alunos, desafiando-os a conceber a "Expedição que falta", onde os alunos são convidados a sonhar esta viagem|expedição, estimulando a produção de criações livres, a imaginação e o fantástico.

pdf icon site Regulamento 

pdf icon site  Ficha de Inscrição 

Abertas inscrições para a I Conferência sobre Happy Schools em Portugal – da Formação à Intervenção

Terá lugar no dia 12 de março de 2022, no Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira, em Lisboa, a  I Conferência sobre Happy Schools em Portugal – da Formação à Intervenção.

Link para inscrição:

I Conferência sobre Happy Schools em Portugal - Da Formação à Intervenção - Atlântica - Instituto Universitário (uatlantica.pt)

www.uatlantica.pt

Limite de inscrições para participação presencial: 100.

Inscrições para participação online: Sem limite.

Os formandos dos Cursos Happy Schools têm acesso grátis na modalidade online.

O projeto “Escolas Felizes” é composto por 22 critérios sob 3 categorias – Pessoas, Processo e Lugares e oferece uma visão de educação de qualidade que vai para além da predominância de indicadores cognitivos ou académicos, como as notas das provas ou conteúdos dos manuais. Em vez disso, o projeto “Escolas Felizes” promove habilidades não cognitivas, atitudes, valores e competências, como a felicidade, o bem -estar, a aprendizagem social e emocional, a empatia e a interdependência. Essa abordagem, amplia os compromisso da UNESCO no pilar “Aprender a Viver Juntos” e “Aprender a Ser”, enfatizando o papel da educação em permitir que os alunos alcancem o seu máximo potencial e se tornem membros de uma comunidade. Nesta visão holística de educação e aprendizagem, felicidade e bem-estar são vistos como fundamentos cruciais para alcançar resultados de aprendizagem de qualidade em todos os aspetos.

Mais informação em:

https://bangkok.unesco.org/content/happy-schools-framework-learner-well-being-asia-pacific

https://bangkok.unesco.org/index.php/content/well-being-counts-better-learning-lessons-asia-pacific-happy-school-framework-and-covid-19

https://bangkok.unesco.org/content/happy-schools-guide-and-toolkit-resource-happiness-learners-well-being-and-social-and

 

i conferencia happy schools cartaz a3 2022

Chamada para artigos e podcasts no âmbito do 50º aniversário da Convenção do Património Mundial

No âmbito do 50.º aniversário da Convenção do Património Mundial, em 2022, a UNESCO lançou um programa de um ano para galvanizar reflexões profundas sobre o futuro do património intitulado "Os Próximos 50: o Património Mundial como fonte de resiliência, humanidade e inovação". Como parte deste esforço, a UNESCO estabeleceu uma parceria com o ‘The Conversation’ (https://theconversation.com/)  para outorgar artigos e podcasts em áreas temáticas fundamentais.

Saiba mais sobre o processo em  https://whc.unesco.org/en/news/2363/

UNESCO apela a uma melhor supervisão da educação privada para reduzir as desigualdades - Relatório Mundial de Monitorização da Educação da UNESCO (GEM) 2021-2022: agentes privados na educação: Quem escolhe? Quem perde?

noticia relatorio mundial educacao

O Relatório Mundial de Monitorização da Educação da UNESCO (GEM)  alerta para a crescente desigualdade e exclusão devido aos elevados custos da educação privada e à falta de regulamentação por parte dos governos. Este documento preconiza cinco medidas para assegurar uma educação de qualidade para todos.

A nível mundial, 40% dos alunos do ensino pré-escolar, 20% dos alunos do ensino primário e 30% dos alunos do ensino secundário e do ensino superior frequentam estabelecimentos de ensino privados. Contudo, o novo relatório da UNESCO revela que muitos países carecem de regulamentação adequada em matéria de educação privada ou da capacidade de fazer aplicar, o que pode prejudicar a qualidade da educação e aumentar o fosso educacional entre ricos e pobres.

O Relatório analisa os agentes não estatais em todos os sistemas educativos, desde escolas geridas por organizações religiosas, ONGs, organismos filantrópicos ou entidades comerciais com fins lucrativos a todos aqueles que prestam serviços no setor da educação. Vários países permitem que estas escolas, na sua maioria sem licença para funcionar, o façam sem qualquer regulamentação.

Revela que apenas 27% dos países proíbem explicitamente a obtenção de lucros nas escolas primárias e secundárias, facto que contraria a visão de uma escolaridade gratuita para todos durante 12 anos. Apenas mais de metade dos países proíbem processos de seleção de alunos nas escolas. Apenas 7% dos países têm quotas para melhorar o acesso dos alunos desfavorecidos às escolas através de diversas medidas. Apenas metade dos países adotaram uma regulamentação para o ensino privado.

Consequentemente, as famílias dos países menos desenvolvidos gastam uma parte desproporcionada dos seus rendimentos na educação dos seus filhos. Em países de baixo e médio-baixo rendimento, as famílias gastam 39% dos seus rendimentos com despesas de educação, em comparação com os 16% que se verificam em países com rendimentos mais elevados.

Este Relatório, intitulado “Quem escolhe? Quem perde?” demonstra que, simultaneamente, a educação pública nos países de baixos rendimentos acarreta custos ocultos significativos. A título de exemplo, uma análise de 15 países de baixo e médio rendimento concluiu que os uniformes e os materiais escolares representam quase dois quintos das despesas de educação do agregado familiar.

Tal facto exige que 8% das famílias nos países de baixo e médio rendimento contraiam empréstimos para pagar a escolaridade dos seus filhos.

A UNESCO apela aos países para que avaliem a regulamentação existente e faz cinco recomendações para colocar a equidade no centro das suas ações:

- Redobrar os esforços para garantir o acesso gratuito e com financiamento público a um ano de pré-escolar e 12 anos de ensino primário e secundário para todas as crianças e jovens. No entanto, um em cada três países gasta menos de 4% do PIB ou menos de 15% da despesa pública total em educação, que são os valores mínimos acordados internacionalmente.

- Estabelecer padrões de qualidade aplicáveis a todas os estabelecimentos de ensino estatais e não estatais, uma vez que sistemas paralelos com diferentes requisitos, materiais e condições de trabalho têm um impacto negativo na construção de um sistema de educação coerente para todos os alunos.

- Reforçar a capacidade dos governos para controlar e fazer cumprir a regulamentação. Na prática, muitas regras são mal definidas ou insuficientemente aplicadas, deixando brechas abertas à má conduta. Os governos devem estabelecer uma relação de confiança com os fornecedores não estatais, encorajando-os a registarem-se, eliminando a arbitrariedade das regras e proporcionando-lhes incentivos adequados para gerirem as suas escolas de forma eficaz em benefício dos estudantes.

- Incentivar a inovação para o bem comum e reunir todos os atores que a desenvolvem. Os governos devem trabalhar em parceria com todos os atores da área da educação para aprender, adotar e avaliar boas práticas assim como para fornecer recursos que permitam aos profissionais partilharem as suas experiências e estabelecerem programas-piloto de forma a expandirem essas boas práticas.

- Proteger a educação de interesses privados. A manutenção da transparência e integridade da educação pública ajuda a proteger os alunos mais desfavorecidos.

Faça o Download do Relatório:

Relatório Completo (Inglês)

Resumo (Inglês)

Saiba mais em: https://es.unesco.org/news/unesco-pide-mejor-regulacion-ensenanza-privada-reducir-desigualdades

Inscrição das “Festas do Povo de Campo Maior” na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial

A candidatura das “Festas do Povo de Campo Maior” à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade foi hoje aprovada no decurso da 16ª sessão do Comité da Convenção.

As Festas do Povo constituem uma manifestação popular de grande participação da comunidade de Campo Maior, apresentando um conjunto de características singulares, designadamente a soberania da decisão da sua realização ”quando o povo quer”, a organização e preparação das festas a partir de cada rua da vila alentejana, a perícia da comunidade campomaiorense que, ao longo do ano, confeciona os muitos milhares de flores coloridas e originais com que irão ser decoradas as ruas do centro histórico e áreas adjacentes. Durante os cerca de nove dias das Festas, as ruas transformam-se em espaços de convívio e de partilha, atraindo milhares de visitantes.

Este é o nono elemento português inscrito nas Listas da Convenção da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial. Assim, encontram-se já inscritos na Lista Representativa o “Fado, canção urbana popular de Portugal” (2011), a “Dieta Mediterrânica” (2013), o “Cante Alentejano, canto polifónico do Alentejo, sul de Portugal” (2014), a “Falcoaria, património vivo da humanidade” (2016), a “Produção de Figurado em Barro de Estremoz” (2017) e as “Festas de Inverno: Carnaval de Podence” (2019). Encontram-se incluídos na Lista do Património Cultural Imaterial que necessita de uma salvaguarda urgente a “Manufatura de chocalhos” (2015) e o “Processo de Confeção da Louça Preta de Bisalhães” (2016).

Nesta sessão do Comité do Património Cultural Imaterial foi também reinscrita na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade a “Falcoaria, património vivo da humanidade”, agora numa candidatura multinacional de 24 países.

A 16ª sessão do Comité do Património Cultural Imaterial é transmitida em direto, podendo ser acedida a partir do link http://webcast.unesco.org/events/2021-12-16COM/.

A gravação desta sessão específica (sessão de dia 15/12, a parte relativa às ”Festas do povo” de Campo Maior encontra-se entre as seguintes horas: 4:45:00 e 4:50:00) estará em breve disponível em http://webcast.unesco.org/events/2021-12-16COM/

 

Sessão de homenagem aos Diplomatas Salvadores do período da II Guerra Mundial - Ministério dos Negócios Estrangeiros, 10 de dezembro de 2021

Decorreu no dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, uma sessão de Homenagem aos Diplomatas Salvadores do período da II Guerra Mundial, organizada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros no âmbito do Projeto Nunca Esquecer – Programa Nacional em Torno da Memória do Holocausto.

O Projeto Nunca Esquecer teve início em 2020, por ocasião do octogésimo aniversário do salvamento de milhares de pessoas pelo então cônsul de Portugal em Bordéus, Aristides de Sousa Mendes.

Recorde-se que o Livro de Registo de Vistos concedidos por Aristides de Sousa Mendes integrou, em outubro de 2017, a lista de bens inscritos no Programa Memória do Mundo da UNESCO. 

Este livro constitui um testemunho único da II Grande Guerra e do drama vivido por milhares de refugiados obrigados a fugir dos territórios ocupados pelo poder Nazi e que, através do sul de França e da Espanha, conseguiram chegar a Portugal. Cada nome que figura nesta lista lembra-nos de uma vida que foi salva ou, em muitos casos, uma família inteira e, ainda, a coragem de um diplomata, Aristides de Sousa Mendes, cuja consciência e ação revelaram um respeito incondicional pelos Direitos Humanos.

A homenagem do dia 10 de dezembro contou com a intervenção do Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Professor Augusto Santos Silva, da Comissária deste projeto, Dra. Marta Santos Pais, e moderação do Presidente do Instituto Diplomático, Embaixador José Freitas Ferraz. 

Após as intervenções, nos claustros do Palácio das Necessidades, junto a uma oliveira, símbolo de continuidade do espírito de proteção da dignidade humana e de solidariedade, foi descerrada uma placa evocando todos os diplomatas que salvaram vidas no contexto da II Grande Guerra, entre os quais avultam Aristides de Sousa Mendes, Carlos Sampaio Garrido e Alberto de Lis-Teixeira Branquinho.

Gravação do evento: 

 Descerramento da placa de homenagem aos Diplomatas Salvadores Portugueses: 

Prémio UNESCO-Rei Hamad Bin Isa Al-Khalifa para a Utilização das TIC na Educação

Abertas até 18 de fevereiro de 2022

Tema 2021: A tecnologia ao serviço de sistemas educativos inclusivos e resilientes às crises

Num momento em que o ensino continua a estar muito perturbado em todo o mundo, a edição de 2021 do Prémio UNESCO-Rei Hamad Bin Isa Al-Khalifa para a Utilização das TIC na Educação concentrar-se-á num tema que a pandemia de COVID-19 destacou como central, recompensando projetos que implementaram programas de aprendizagem públicos baseados na tecnologia e que promovem, de forma eficaz, a continuidade pedagógica e um ensino de qualidade para todos.

Mais informações aqui. (https://en.unesco.org/themes/ict-education/ict-education-prize)

O prazo de apresentação de candidaturas termina a 18 de fevereiro de 2022, devendo as mesmas ser enviadas para análise da Comissão Nacional da UNESCO até 4 de fevereiro de 2022.

Normativos patrimoniais em português

Acabam de ser disponibilizadas no website do ICOMOS Portugal 54 normas internacionais sobre património da UNESCO e do ICOMOS, traduzidas  por Flávio Lopes e Miguel Brito Correia em 2014 e então publicados pela Editora Caleidoscópio. As convenções, recomendações, declarações, cartas, princípios e muitos outros constituem um valioso contributo para compreender a evolução dos conceitos e exigências na área patrimonial, bem como um auxiliar no desenvolvimento e implementação de processos patrimoniais sustentáveis.

Link: https://icomos.pt/recursos/normas-internacionais

A Biblioteca Municipal de Valongo integrou recentemente a Rede das Bibliotecas Associadas à Comissão Nacional da UNESCO

“Bibliotecas Municipais de Valongo – espaço de Leitura, Cultura, Informação e Cidadania”, foi o projeto apresentado para a sua

Candidatura. São agora 55 bibliotecas inseridas nesta Rede que desenvolve projetos e atividades em domínios da UNESCO.

Para mais informação visite https://valongo.bibliopolis.info/

biblioteca valongo

16ª sessão do Comité do Património Cultural Imaterial

Decorre online de 13 a 18 de dezembro a 16ª sessão do Comité do Património Imaterial, durante a qual serão analisadas as candidaturas das “Festas de campo Maior” e de alargamento da “Falcoaria, património humano vivo” a 24 países, à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial.

A documentação relativa à sessão encontra-se disponível aqui

A sessão poderá ser seguida em direto aqui.

Abertura das Candidaturas do Concurso Media@ção 2021-2022

Este ano, o concurso Media@ção coloca à escolha dos concorrentes a abordagem de um dos três temas: 

  • Os media e a liberdade de expressão:Liberdade de expressão significa partilhares conteúdos sem qualquer filtro? Poderes dizer/ escrever/ publicar tudo? Que limites devemos aceitar para nos exprimirmos?
  • Media e cidadania:Os media dão-te o poder de fazeres ouvir a tua voz. Já pensaste como usar esse poder para participar na vida da escola e/ou da comunidade?
  • A diversidade de media:E se de repente, fosses um livro… como seria a tua relação com os outros media?

Abrangendo o público estudantil desde o ensino básico ao ensino secundário, escolas públicas, privadas e profissionais e, ainda, escolas portuguesas ou de ensino do português no estrangeiro, o concurso Media@ção destina-se a todos os alunos que queiram refletir sobre a sua experiência de uso dos media e dar expressão à sua criatividade através de um vídeo, um podcast ou uma animação 2D, 3D ou stop motion! O atual Regulamento salienta o facto de os alunos dos cursos EFA também concorrerem na categoria 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário. Estabelece, ainda, uma terceira categoria de trabalhos a concurso na qual serão agrupados, exclusivamente, os da autoria de alunos de cursos artísticos e especializados na área do audiovisual. 


A data limite para entrega dos trabalhos é o dia 5 de abril de 2022, não sendo necessária inscrição prévia.

Consulte o regulamento aqui e participe.

O concurso Media@ção é uma iniciativa promovida pela Comissão Nacional da UNESCO (CNU), Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), Secretaria-Geral da Presidência de Conselho de Ministros (SGPCM), Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS), Direção-Geral da Educação (DGE), Fundação Altice Portugal (FAPT), Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), Plano Nacional de Cinema (PNC) e Plano Nacional de Leitura 2027 (PNL2027).

Lembramos que continuam disponíveis no canal YouTube do concurso, um conjunto de tutoriais vídeo sob o título A linguagem audiovisual.

Exposição “Contra-Parede” no Museu do Côa – inauguração a 2 de outubro

contra parede exposicao museu coa

Irá decorrer, no dia 2 de outubro, pelas 15h, a inauguração da exposição “Contra-Parede” no Museu do Côa, que apresentará obras “em diálogo” da autoria dos artistas Ana Vidigal, Nuno Nunes-Fernandes e Pedro Gomes.

Em declarações à Lusa, a Presidente da Fundação Côa Parque, Aida Carvalho, refere que o projeto “Contra-Parede” tem como ponto de partida uma discussão alargada “em torno da parede como lugar privilegiado para a intervenção no espaço público”, levando os artistas a questionar o espaço arquitetónico no qual as obras serão apresentadas.

De acordo com o curador, Hugo Dias, adicionando o prefixo “contra” a “parede” recorreu-se ironicamente à contradição para infringir um confronto com as instituições que se erguem através das estruturas arquitetónicas e dos seus significados de poder.

“De facto, ao cobrir a parede e ao ocupar a quase totalidade do espaço expositivo, as obras apresentadas no projeto ‘Contra-Parede’ conquistam espaço de visibilidade que, através da intervenção ativa dos artistas e do público como espectadores informados, se revelam espaços subvertidos de contra-poder”, disse.

Esta exposição itinerante estará patente até 21 de novembro no Museu do Côa, e, em 2022, em Abrantes e Caldas da Rainha.

Para mais informações consulte aqui.

"Fórum Mundial Multilateral sobre o Discurso de Ódio através da Educação"

 

Como parte da implementação da Estratégia e Plano de Ação da ONU para o Discurso de Ódio, a UNESCO e o Escritório para a Prevenção do Genocídio da ONUpromovem o "Fórum Mundial Multilateral sobre o Discurso de Ódio através da Educação", que tem lugar, online, a 30 de Setembro e 1 de Outubro de 2021.

Este fórum conta com a participação do Ministro da Educação de Portugal,  Tiago Brandão.

O Fórum terá como propósito contribuir para a próxima "Conferência Mundial de Ministros da Educação sobre o Combate ao Discurso do Ódio através da Educação", que terá lugar a 26 de Outubro de 2021.

Mais informações em: https://en.unesco.org/news/addressing-hate-speech-through-education-united-nations-global-education-ministers-conference

 

Dia Internacional do Acesso Universal à Informação – 28 de setembro de 2021

infor

 Celebra-se a 28 de setembro o Dia Internacional do Acesso Universal à Informação. Nesta edição de 2021, este Dia Internacional é subordinado ao tema "O Direito de Saber - Construir Melhor com Acesso à Informação". 

Ao longo deste Dia irão decorrer palestras online com o propósito de destacar o papel das leis de acesso à informação e a sua implementação para construir instituições fortes que assegurem o bem público e reforcem a cooperação internacional, no sentido de implementar o direito à informação como um direito humano fundamental.

Deste modo, serão organizados painéis virtuais temáticos, em conjunto com instituições parceiras, para que todos possam acompanhar as discussões. Os webinars abordarão ainda novos desafios digitais e serão discutidas novas e melhores práticas, bem como especificidades regionais.

Inscrições nos webinares aqui.

❌