Noticias em eLiteracias

🔒
❌ Sobre o FreshRSS
Há novos artigos disponíveis, clique para atualizar a página.
Antes de ontemCidadania

Data equity – there is no hiding

Por p_van-vucht-tijssen
English
  • 17 de Maio de 2021, 13:14

Mensagem de Audrey Azoulay, Diretora-Geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional da Luz - 16 de maio de 2021

A luz é um facto total e é isso que hoje celebramos neste Dia Internacional da Luz.


Simultaneamente medida do tempo, partícula fundamental e onda eletromagnética, a luz fala-nos do universo. À medida que os cientistas aprendem a desvendar os seus segredos, descobrem o que ela nos pode ensinar, são áreas inteiras da nossa compreensão do mundo que se abrem a nós - e os limites do inteligível são ultrapassados.


Esta é também, sem dúvida, a razão pela qual a luz é indissociável da criatividade humana, desde as grutas decoradas do Paleolítico até às obras contemporâneas de artistas visuais, escultores, fotógrafos, arquitetos, realizadores de cinema e diretores de iluminação, cada um dos quais, à sua maneira, a materializa e amplia.
Cientistas e engenheiros também aprenderam a aproveitar as suas notáveis propriedades de forma prática: desde os díodos emissores de luz (LEDs) que nos
impedem de tropeçar no escuro, à Internet de banda larga, passando pela medicina, a agricultura, a energia, a ótica e muitos outros campos, a luz está em todo o lado - se
soubermos vê-la.


A luz está no centro da matéria, como demonstram projetos como o Centro Internacional SESAME de radiação sincrotrónica para ciência experimental e aplicações no Médio Oriente, um acelerador de partículas que foi inaugurado precisamente a 16 de maio, e que permite às equipas de todo o Médio Oriente desvendar mistérios através da luz.


Este dia é assim uma oportunidade para celebrarmos o poder da ciência e prestarmos homenagem não só aos cientistas que a praticam, como também a todos aqueles que a decifram e a divulgam - professores e educadores, amadores e curiosos.


De facto, estes últimos meses enfatizaram a importância do seu papel na difusão da literacia-científica geral e no reforço da confiança na ciência.

A confiança continua a ser uma condição fundamental para que a ciência sirva o interesse público. Esta é também a razão pela qual esta edição do Dia Internacional
da Luz está centrada neste tema crucial. As vacinas são uma poderosa demonstração deste facto. Sem confiança e sem transparência, o progresso científico, por mais
necessário e excecional que seja, torna-se alvo de suspeita, desconfiança e rumores.


Contudo, não é um dado adquirido, deve ser conquistada abrindo a ciência à sociedade, tornando-a compreensível e legível, e não a omitindo do debate democrático sob o pretexto da sua natureza técnica. Só assim a ciência será capaz de desenvolver todo o seu potencial. Por este motivo, os cientistas de todo o mundo, incluindo os laureados com o Prémio Nobel e vencedores do Prémio L'ORÉAL-UNESCO para as Mulheres na Ciência, estão empenhados em reforçar a confiança na ciência através de uma grande campanha que é lançada neste Dia Internacional da Luz.


Que este Dia, este ano novamente marcado pela pandemia e suas consequências, seja uma oportunidade não só para celebrarmos a ciência, mas também para todos aqueles que, tornando-a acessível, discutindo-a e questionando os seus limites, estão a ajudar a torná-la um verdadeiro bem comum da humanidade.

Mensagem de Audrey Azoulay, Diretora-Geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional do Viver Juntos em Paz - 16 de maio

Numa altura em que uma crise global está a pôr à prova a humanidade ao ponto de ameaçar fraturá-la em todo o lado, torna-se imperativo agir para que a pandemia não conduza à rutura, mas à reconciliação da humanidade, consigo mesma e com todos os seres vivos.


Este Dia lembra-nos de todo o trabalho que falta fazer para preservar a paz, que nunca pode ser tomada como garantida, mas deve ser sempre construída. Esta é a razão de ser da UNESCO, fundada após a mais terrível das guerras, para construir as defesas da paz na mente de mulheres e dos homens - através dos bens comuns da educação, das ciências, da informação e da cultura.


A recuperação de Mosul pode ser considerada como um símbolo deste empreendimento de edificação da paz. Dizimada pela guerra, a cidade de Nineveh Plain retoma hoje a sua vocação como cidade plural, um cruzamento de culturas e
religiões, ao serviço da paz. Desde há vários anos, a UNESCO tem vindo a tomar medidas neste domínio, não só através da valorização do património histórico, como também do tecido cultural e educativo.


O património, a educação e a cultura são, de facto, três alicerces insubstituíveis da paz. Pois cada um dos seus avanços permite-nos dar mais um passo em direção ao outro. 


Neste movimento para unir a humanidade e alcançar um mundo de partilha, o compromisso coletivo é essencial.


De facto, a magnitude das mudanças que constituem uma ameaça para a paz, que vão das alterações climáticas às revoluções tecnológicas, passando pelas desigualdades crescentes, exige a mobilização de todas as nossas sociedades. É nesta perspetiva que, desde 2017, temos vindo a celebrar o Dia Internacional do Viver Juntos em Paz.


Ao prestar homenagem aos esforços envidados pela comunidade internacional no sentido de construir a paz, este Dia almeja ainda fomentar o empenho e a dedicação de todas e de todos para cumprir esta grande missão humanista.


Por último, este Dia é também uma oportunidade para refletirmos juntos sobre ações concretas que permitam promover um ambiente inclusivo, pacífico e sustentável em todos os aspetos, para que a humanidade possa viver em paz. Como afirmou Martin Luther King: "Se queremos ter paz na terra, (...) os nossos compromissos devem transcender a nossa raça, a nossa tribo, a nossa classe e a nossa nação; e isso significa que devemos desenvolver uma perspetiva mundial"; Estejam certos de que a UNESCO está plenamente empenhada nesta missão.

Campo Primavera – Iniciativa da Casa da Juventude de Guimarães

Terá lugar em Braga, entre os dias 4 e 6 de junho, o Campo Primavera, Encontro de Formação de Jovens, subordinado ao tema: Cidadania e Participação Juvenil. Esta edição é organizada pela Casa da Juventude de Guimarães, uma associação pertencente à Rede de Associações e Clubes UNESCO.

Esta iniciativa decorrerá em regime residencial, pelo que salvaguardará todas as regras de higiene e segurança necessárias para impedir qualquer risco de contágio pelo Coronavírus.

As inscrições encontram-se abertas até dia 21 de maio, pelo que pode já proceder à sua inscrição aqui.

Para qualquer informação adicional, dúvidas ou esclarecimentos, contacte casajuventudeguimaraes@gmail.com

 

casa ju

Lançamento do Livro "Luz e Sombra, A sustentável Leveza da Forma"

Irá decorrer, a partir das 10h15, no dia 15 de maio no Palácio Nacional de Mafra, a apresentação do livro “Luz e Sombra – A Sustentável Leveza da Forma”, por Sérgio de Medeiros e Mário Pereira. Este programa conta com o apoio da Comissão Nacional da UNESCO.

O convite é feito pelo Diretor Geral do Património Cultural e o Diretor do Palácio Nacional de Mafra, e na programação do evento, para além da apresentação do livro a ter início às 11h, consta ainda um recital de carrilhão, pelas 12h15. O número de participantes será condicionado às normas do Plano de Contingência em vigor. 

Este livro pode ser adquirido aqui.

 

image024 1

Bienal’21 Fotografia do Porto – Exposição de 14 de maio a 27 de julho

Vai decorrer de 14 de maio a 27 de junho de 2021 a exposição “Cidades na Cidade”, organizada pela Bienal Fotografia do Porto, à qual a Comissão Nacional da UNESCO concedeu o seu apoio institucional. Esta exposição faz parte da edição da Bienal’21 Fotografia do Porto, que oferece uma escolha variada e repleta de temáticas dinâmicas e atuais, pelo que serão organizadas 19 exposições por 15 curadores, que contam com as contribuições de 46 artistas.


Estas permanecerão abertas ao público a partir das 14h30 de dia 30 de maio. Dado o contexto pandémico em que nos encontramos, o programa desta edição consistirá num roteiro organizado pelos espaços das respetivas exposições, de modo a evitar aglomerados, e limitando o número de visitantes por espaço.


Para mais informações, consulte aqui.

2ª Sessão do I Ciclo de Webinars dedicado aos aspirantes a Geoparques Mundiais da UNESCO Portugueses

Vai ter lugar no próximo dia 17 de maio, a 2ª sessão do I Ciclo de Webinars sobre os aspirantes a Geoparques Mundiais da UNESCO Portugueses, por ocasião do Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade de Informação. Coorganizado entre a Comissão Nacional da UNESCO e o aspirante Geoparque Oeste, esta sessão conta na 1ª parte com a comunicação do Doutor Ricardo Carvalhido, coordenador científico do aspirante Litoral Viana do Castelo a Geoparque Mundial da UNESCO.

Na 2ª parte desta webinar, terá lugar a mesa-redonda dedicada à temática “Os Geoparques como promotores de um destino turístico em tempos de pandemia”, com dois convidados especiais: Dr. Pedro Machado – Turismo do Centro e o Professor Doutor Miguel Castro Neto, da Universidade Nova de Lisboa. Serão também convidados representantes dos cinco Geoparques Mundiais da UNESCO Portugueses pertencentes à Rede Mundial da Geoparques.

Poderá efetuar a sua inscrição para o webinar aqui.

 

templates neutros calendarizacoes 1 ciclo webinar final facebook 13 min

Plano de Gestão - Património Mundial em Guimarães

No ano em que se celebram os 20 anos de classificação do Centro Histórico de Guimarães como Património Mundial, o Município apresentou a primeira proposta para o Plano de Gestão do Centro Histórico de Guimarães e Zona de Couros, que deu a conhecer na passada segunda-feira. Durante o mês de maio, o Plano está sob consulta pública. Esta fase é especialmente relevante na medida em que procura envolver a comunidade — local, mas não só — reforçando o conhecimento sobre o Bem e, sobre ele, refletir sobre o modo de o proteger, usar e valorizar.

Com um arco temporal definido, 2021—2026, o Plano de Gestão aponta sentidos e estratégias para o futuro e integra um plano de ação que explicita 90 ações e conjuntos de ações a implementar a curto, médio e longo prazo. Sabe-se que o Centro Histórico de Guimarães, inscrito em 2001 na Lista do Património Mundial, é diferente do Centro Histórico de Guimarães da década de 80, quando se iniciou o processo, em curso, de recuperação do centro da cidade. Sabe-se que este património urbano é dinâmico e é certo que daqui a 20 anos estará diferente. A questão é: que Cidade, que Património, ou que Centro Histórico de Guimarães e Zona de Couros, queremos ter daqui a 20 anos?

Reconhecer que estes processos não são estáticos, nem estão garantidos pelo facto de serem reconhecidos nacional e internacionalmente pelo seu Valor Universal Excecional; é um passo determinante para que todos, sem exceção, sejam envolvidos e comprometidos na defesa, na salvaguarda e na valorização, permanente, do Bem Património Mundial. Esse é o principal desígnio do Plano de Gestão, para o qual o Município de Guimarães convoca todos os interessados. 

O Plano pode ser consultado aqui.

Mais informações clique aqui.

Criticas, sugestões e comentários devem ser enviados para: chcouros@cm-guimaraes.pt

Together we learned 'We are ABLE'

Por th_hoang
English
We Are ABLE, ethnic minorities, unesco in Viet Nam, girls education
  • 6 de Maio de 2021, 07:27
❌